Alunos de Fafe prevenidos sobre os seus direitos

Os alunos das escolas do concelho de Fafe reuniram, ontem, em Assembleia de Crianças e Jovens para debater as principais questões relacionadas com a sua segurança e protecção, no auditório municipal, onde apresentaram dúvidas e mostraram o que aprenderam ao longo do ano sobre os Direitos da Criança.

Abandono escolar, violência doméstica, acolhimento institucional foram algumas das temáticas abordadas pelos jovens fafenses, quer em performances que apresentaram ao público, quer em questões lançadas à mesa, constituída por individualidades de várias áreas, desde a política, à justiça, segurança social e psicologia.

A Comissão de Protecção de Crianças e Jovens em Perigo de Fafe desenvolveu esta actividade, incentivada pela comissão nacional, num projecto-piloto em que se “pretende uma modalidade alargada de protecção, em que são os jovens são eles próprios os promotores da sua protecção”, explicou Sílvia Soares, responsável pela CPCJ de Fafe.

“O desafio foi lançado às nossas escolas e aceite, no sentido de que seleccionassem matéria sobre os Direitos da Criança para ensinar aos seus alunos”, indicou, apontando para o êxito do projecto. “O número de processos instaurado tem vindo a diminuir. Isso significa que a comunidade está mais atenta. Já os processos reabertos aumentaram, o que traduz uma maior atenção por parte da comissão”, referiu Sílvia Soares, destacando, ainda, “o papel que a rede social informal de Fafe tem desempenhado neste âmbito”.

Armando Leandro, juiz conselheiro, também marcou presença no evento, onde elogiou o facto de se dar a palavra aos jovens.
“Fafe tem sido um exemplo e esta CPCJ também por perceber que é preciso, acima de tudo, prevenir. Não há qualidade humana, sem qualidade na infância”, assinalou o juiz.

 

Data da Noticia: 

Quarta, 30 Maio, 2012